Larry Elison, fundador da Oracle. Crédito: Kimberly White/Getty Images

A Oracle derrotou a Microsoft numa negociação sobre as operações do TikTok nos EUA, segundo relatos de vários meios de comunicação publicados na noite deste domingo (13). No entanto, depois de semanas falando sobre uma venda, não está claro se de fato ela ocorrerá.

De acordo com o Washington Post, a Bytedance, a empresa chinesa dona do TikTok, anunciará que a Oracle será uma “parceira de tecnologia” nos EUA. O movimento tem como objetivo abordar os medos da administração Trump e de outros de que o TikTok está sendo usado pelo governo chinês para espiar usuários dos Estados Unidos. As preocupações levaram Trump a anunciar o banimento do TikTok no país se a companhia não fosse vendida para uma empresa dos EUA. O TikTok negou veementemente as alegações de que envia dados dos EUA para a China.

O Washington Post relata que o negócio provavelmente envolveria a obtenção de uma fatia da empresa pela Oracle, embora isso ainda não tenha sido confirmado.

A rejeição da oferta da Microsoft ocorre em meio a relatos de que a China prefere o TikTok seja banido nos EUA do que ser vendido. A Microsoft, vista como endinheirada na negociação, até juntou forças com o Walmart, outro gigante, para sua oferta.

“Estamos confiantes de que nossa proposta teria sido boa para os usuários do TikTok, ao mesmo tempo que protegia interesses de segurança nacional”, disse a Microsoft em um comunicado anunciando que havia perdido a negociação. “Para fazer isso, teríamos feito mudanças significativas para garantir que o serviço atendesse aos mais altos padrões de segurança, privacidade, segurança online e combate à desinformação, e deixamos esses princípios claros em nossa declaração de agosto. Estamos ansioso para ver como o serviço evolui nessas áreas interessantes”.

No entanto, a perda da Microsoft não é totalmente uma surpresa. Houve relatos de que a Oracle havia obtido uma vantagem nas negociações por causa do que estaria disposta a aceitar. No final, parece que a Oracle concordou em não se tornar a empresa controladora do TikTok e provavelmente vai se tornar seu provedor de serviços em nuvem ou algo semelhante.

A Oracle também tinha outra coisa em seu favor: um bom relacionamento com Trump. No início deste ano, Larry Ellison, cofundador e presidente executivo da empresa, realizou arrecadação de fundos para o presidente. Por US$ 100 mil, os apoiadores podiam jogar golfe com o presidente e tirar uma foto com ele. E por US$ 250 mil seria possível ter todos os itens acima, além da possibilidade de sentar e bater um papo com Trump. Além disso, Safra Catz, CEO da Oracle, também atuou na equipe de transição do presidente dos EUA em 2016.

A Microsoft, por sua vez, queria assumir o código e algoritmos do TikTok para lidar com questões de espionagem e desinformação, de acordo com o New York Times. No entanto, nas últimas semanas, a China atualizou suas regras de controle de exportação para proibir a venda de tecnologia, como a presente no TikTok, sem a permissão do governo.

Embora a ByteDance tenha escolhido um pretendente, ainda não é um negócio fechado. O presidente Trump e o Comitê de Investimento Estrangeiro dos EUA agora devem dar uma aprovação ou não ao negócio. Vale lembrar que apesar de toda essa negociação, a China ainda pode intervir. Em outras palavras, tudo pode acontecer.

The post Oracle supera Microsoft e deve virar parceira do TikTok nos EUA appeared first on Gizmodo Brasil.

Por Gizmodo Brasil
https://gizmodo.uol.com.br/oracle-parceira-tecnologia-tiktok-eua/